Anturio de corte

As variedades selecionadas pelo IAC (Instituto Agronômico Campinas) ao longo de 40 anos, são cultivadas em condições diversas do território brasileiro, com temperaturas na área de produção variando de 0°C a 40°C. A produção de flores se mantém com temperaturas entre 12°C e 33°C, sem nebulosidade, debaixo de uma tela de escurecimento preta .

O que chama atenção nas variedades IAC, é a capacidade de produzir flores de qualidade com boa produtividade, em condições rusticas de simples telado , sem necessidade de sofisticação das instalações. As variedades são conhecidas há décadas pelo seu brilho, espessura de espata, cores originais e vibrantes, tamanhos de flores variando de médio a gigante, e duração pós-colheita atendendo ao mercado nacional e de exportação, desde que a rastreabilidade das mudas e o manejo sejam adequados.

O trabalho cientifico desenvolvido pelo IAC, dentro do qual o Dr. A.F.C. Tombolato representa um dos pilares do sucesso destas seleções junto aos profissionais de antúrio de corte, teve a visão de focar na cor mais procurada na floricultura, a vermelha, incrementando nesta cor diversos tamanhos, tonalidades e formatos. O critério de seleção da cor em si, tendo em vista o sucesso encontrado no mercado, mostra o rigor com o qual os vermelhos selecionados pelo IAC são vermelhos verdadeiros, onde os resquícios de outras tonalidades “aproximativamente vermelhas” e provenientes dos genitores, foram eliminados durante o processo seletivo.

As variedades bicolores podem, em função do manejo, da localização, da idade da planta, e da época do ano, apresentar ou não uma borda verde.

Poster for ISHS

Mostrando 1–12 de 18 resultados