Alimentícias, Aromáticas e Medicinais

Para mudas reproduzidas vegetativamente (estacas ou rizomas) , os produtores de plantas aromáticas e medicinais costumam produzir as suas próprias mudas. E não é raro que apos alguns ciclos de cultivo, problemas fitossanitários acabam levando a perdas de produção . Na tentativa de controlar a situação, produtos químicos são utilizados, em dosagem e impacto cada vez maiores.

A instalação dos patógenos no cultivo, é proporcional a facilidade de reprodução: quanto mais fácil a reprodução do material, aumenta mais a contaminação por vírus, fungos e bactérias.

Mudar este quadro depende de decisão do produtor rural, que ao constatar uma baixa inexplicável de produtividade, ou ao constatar um aumento na fatura de produtos químicos, acaba procurando alternativas a perenidade do seu empreendimento.

Por este motivo, propomos um material limpo , visando a sustentabilidade da atividade.

Em plantios orgânicos, da sanidade da muda depende o resultado do cultivo, onde não se pode usar nenhum produto químico para tentar compensar problemas fitossanitários

Além do aspecto fitossanitário, a padronização da matéria prima, bem como o aumento de biomassa, representam um avanço tanto para o produtor bem como para a industria. Este salto de qualidade leva a mudanças como espaçamento de plantio, otimização de exposição solar no vegetal, sanidade do cultivo, melhorias externas e internas da matéria prima, entre outras características.

Mostrando 1–12 de 14 resultados